bonequinhos

bonequinhos

segunda-feira, 26 de novembro de 2012

A todos os visitantes e sobretudo aos nossos familiares gostariamos de informar que não temos mais espaço para publicar fotografias neste blog, por isso foi criado um novo LINK.

quarta-feira, 14 de novembro de 2012

ERA UMA VEZ UM NINHO...

Ahhh, é um ninho!!!!
Sei um ninho
Sei um ninho.
E o ninho tem um ovo.
E o ovo, redondinho,
Tem lá dentro um passarinho
Novo.

Mas escusam de me atentar:
Nem o tiro, nem o ensino.
Quero ser um bom menino
E guardar
Este segredo comigo.
E ter depois um amigo
Que faça o pino
A voar...

 
                            Miguel Torga
 
E agora, o que fazer??? 
Uma chuva de palavras
Um texto coletivo, palavra puxa palavra
 
ERA UMA VEZ UM NINHO PERFEITO
PERFEITO NOS PORMENORES
PORMENORES NO ESPAÇO, NA TEMPERATURA E NOS MATERIAIS
MATERIAIS INDISPENSÁVEIS: PALHA, TERRA, FOLHAS SECAS E RAIZES
RAIZES FINAS E RESISTENTES QUE OS PÁSSAROS MOLDAM
MOLDAM COM JEITINHO UTILIZANDO O SEU PEQUENO BICO
BICO FORTE PARA CARREGAR OS RAMINHOS
RAMINHOS QUE VÃO ACOLHER E PROTEGER
PROTEGER E AQUECER OS OVOS
OVOS FRÁGEIS QUE SE ACONCHEGAM NO LAR
LAR QUE CONFORTA AS CRIAS
CRIAS INDEFESAS E DÓCEIS
DÓCEIS, ASSUSTADAS E ESFOMEADAS
ESFOMEADAS SEMPRE A ABRIR O BICO
BICO QUE RECEBE O ALIMENTO
ALIMENTO QUE OS PAIS DÃO COM CARINHO
CARINHO E MIMOS NECESSITAM
NECESSITAM PARA PERMANECEREM
PERMANECEREM, TEMPORARIAMENTE, NO NINHO.

SÓLIDOS GEOMÉTRICOS

Esta semana relembramos os nomes dos sólidos geométricos e classificamos os poliedros e não poliedros.
Identificamos as planificações que servem de base à construção dos sólidos:

pirâmide quadrangular

cone

paralelepípedo
cilindro
cubo...
Construimos os nossos sólidos em cartolina.
Pintamos,
recortamos
dobramos
e colamos com  ajuda de todos. 
Os  sólidos ficaram bem coloridos.
Cada um de nós identificou e escreveu no caderno o número de faces, arestas e vértices do seu sólido e posteriormente,
trocamos os sólidos uns com os outros e continuamos a tarefa de identificação.
Os nossos sólidos foram expostos na sala para observarmos sempre que necessitarmos.

 No fim, fizemos um jogo que consistia em descrever um sólido à nossa escolha, sem referir o seu nome e utilizando palavras como: vértices, base e arestas... Os colegas tinham que descobrir qual o sólido descrito.
 
Para relembrarmos o que aprendemos, podemos consultar...

sexta-feira, 9 de novembro de 2012

LENDA DE S. MARTINHO

Em vésperas do dia de S. Martinho quisemos manter a tradição e relembramos, oralmente, a lenda.
A pares produzimos um texto, tendo por base uma prancha e na qual tivemos que respeitar as indicações dadas.
Após o rascunho feito e corrigido, reescrevemos o texto com letra bem cuidada. Um de nós ditava e o outro escrevia, porque o trabalho colaborativo é muito mais fácil e produtivo.

 Ilustramos os nossos textos e depois celebramos o magusto comendo castanhas assadas e cozidas. Este ano não fizemos a tradicional fogueira, porque o tempo não nos deixou... Paciência, pode ser que para o ano o verão de S. Martinho nos presenteie com o sol radioso.

sexta-feira, 2 de novembro de 2012

É OUTONO, OLÁ SE É...




CHEGOU O OUTONO
Chega o outono!
As andorinhas
despedem-se das outras avezinhas
e vão pelos ares fora
vão-se embora
embora?
Não!
Que voltam, voltarão...
Quando a bela estação
da Primavera
que antecede ao Verão
oferecer melhor vida.
Não têm agasalhos nem comida,
vão para terras quentes
à procura do sol que as consola
Mas nós, crianças,
nós,
todas contentes
partimos para a escola.
                                         Alice Gomes
   Esta semana, andamos atarefados com o tema do outono. Fizemos um jogo no qual tivemos que explicar, oralmente ou com mímica, à turma, uma palavra, sobre o tema para que os colegas tentassem adivinhar. Divertimo-nos com a brincadeira e aprendemos novas palavras. A partir de algumas palavras enunciadas, elaboramos textos coletivamente.
Também quisemos fazer o painel do OUTONO. Foi uma azáfama!
Contornamos alguns desenhos,
 recortamos,
preparamos as tintas com muito cuidado,
pintamos,


colamos,


retocamos os pormenores
e passamos os textos no computador.

Chegou o outono!
E o sol ficou cheio de sono.
O lavrador semeia para ter um ano de abono
E das colheitas ser dono.
Nos campos, as folhas cobrem o chão
Muito coloridas que bonitas que são.
Alguns animais para outros países vão
E as andorinhas partem em emigração
Porque faz frio e pode cair um nevão.
É a hora de tirar, do roupeiro, um casacão
E beber chocolate quente ao serão
 Junto à lareira a ouvir uma canção.
 S Martinho não tarda a voltar
E o magusto vamos festejar
Na fogueira muitas castanhas a estalar
E com as mãos sujas a cara gostamos de sujar.
Com os marmelos, as compotas vamos preparar
Para com o pão as saborear.
Esta é uma estação especial
Que antecede a festa de Natal. 
 
Andar nas poças a pé, que bom que é!
Bonitas as cores são, nesta única estação!
Caem as folhas no chão, que leves que são!
Dióspiros vamos comer e preparar doces para oferecer.
Esquilos e ursos vão hibernar e as andorinhas a imigrar.
Folhas secas e coloridas, cobrem o chão das avenidas.
Gotas que nos vão molhar, se do guarda-chuva no esquecermos de levar.
Humidade nos vidros vai ficar e caretas vamos desenhar.
Inundações podem surpreender, por isso, temos que nos proteger.
Já é hora de a lenha apanhar para o fogo atear.
Lareira quentinha, costumamos acender para nos aquecer.
Maçãs e peras saborosas fazem compotas deliciosas.
Nozes, amêndoas e castanhas, frutos secos tu apanhas.
Outono sisudo, molha e leva tudo.
 Pinheiros carregados de pinhas, que já estão muito sequinhas.
Que sol tão morno, que parece ter sono!
Romãs repletas de baguinhos, gostamos de apreciar aos bocadinhos.

Sementes o lavrador vai semear, para mais tarde o fruto arrecadar.
Tempo quente nesta estação é sinal que pode haver um furacão.
Uvas vamos vindimar, para no lagar as transformar.
Vendaval o Outono costuma trazer, às casas temos de recolher.
Xarope precisamos de tomar, para a constipação passar.
Zangados ficamos com o Outono quando não dá um ano de abono.

Deste trabalho colaborativo surgiu o painel do outono na quinta, ou não andassemos nós na Escola da Quinta do Campo!!! 

É TEMPO DE POESIA!

Embora tardiamente, queremos aqui publicar a atividade que os nossos colegas do quarto ano A tiveram a gentileza de nos apresentar.
Recitaram poemas de Matilde Rosa Araujo, grande poetisa que nos continua a encantar com poemas tão belos.
Aos nossos amigos queremos dar os PARABÉNS por terem declamado e encantado.
 Podem sempre voltar à nossa sala, porque é sempre tempo de POESIA.